• Livro – Mulheres Francesas não engordam

    9 de fevereiro de 2011 • Livros, Reflexão

    Faz tempo que ouvi falar no livro “Mulheres Francesas não engordam“, mas não dei muita bola… Afinal, livro de auto-ajuda misturado com dieta é definitivamente algo que não combina, né? Eu costumava ler livros de auto-ajuda quando eu era adolescente, mas descobri com os anos que eu era a própria auto-ajuda ambulante e não precisava desses livros pra me dizer como levar a vida.

    Pois então, navegando na internet, acabei caindo em uns reviews desse livro de novo essa semana e muito curiosa com os bons comentários, não resisti e comprei. O livro foi lançado em 2005 e ficou na lista do New York Times como mais vendido durante muito tempo, por isso achei a versão de bolso na livraria (sempre mais baratinha) e paguei apenas $9,00 doláres.

    Ainda não li muito, mas adorei já de cara porque é, na verdade, um livro mais focado na diferença de comportamento e estilo de vida das mulheres francesas versus mulheres americanas. Não é só sobre dieta, mas o fator cultural que influencia tudo isso. Por exemplo: as francesas caminham muito, sempre que podem. Já as americanas não vivem sem carro e evitam ir até a esquina de casa a pé (me lembro quando morava nos EUA que tinha até drive-thru para ir no correio e no banco).  Outro exemplo: as francesas vão mais a feiras do que ao supermercado, enquanto as americanas preferem comer congelados a preparar a sua própria comida.

    Um trechinho do livro para quem entende inglês:

    Quando eu acabar conto se vale a pena comprar o livro e se conseguir absorver algo para por em prática na minha vida.

    Alguém já leu ou ouviu falar?

    xoxo

    Share on Facebook6Tweet about this on Twitter0Pin on Pinterest0Share on Tumblr

    13 Comentários para Livro – Mulheres Francesas não engordam

    1. ju
      9 de fevereiro de 2011 at 16:39

      amore! eu tenho esse livro faz tempo na minha casa! ainda nçao li, dei umas “lidas”, folhadas e realmente parece ser mt legal! realmente pelo título parece ser auto-ajuda e tal, nada a ver. Mas é beeem interessante, pq eh diferença de cultura e tal…..aliás, to com muita vontade de ler ele, ta la na casa da minha mae, só tenho q ir pegar! beijos!

      • ledavolli
        9 de fevereiro de 2011 at 17:08

        Aeee, vamos lendo, dai a gente vai comentando o que ta achando, que tal? :)

    2. ju
      9 de fevereiro de 2011 at 19:23

      ok! ;))

    3. Lisa
      9 de fevereiro de 2011 at 23:53

      Ola, leio seu blog de San Diego,CA.
      Li esse livro, mas achei exagerado. Ja vi francesa gorda. O estilo de vida da americana e mais corrido que da francessa eu acho por isso que engorda mais. Tem um outro livro que li sobre uma americana que ficou gorda na franca pq so ia na padaria e comia os doces.
      Tem livro pra tudo rsrsrs.

      • ledavolli
        10 de fevereiro de 2011 at 09:34

        Oi Lisa, adorei a sua visita!!! Eh mesmo? Pois eh, sei que várias americanas ficaram indignadas com esse livro. Aqui no Canadá, principalmente em Toronto, que eh a cidade mais americanizada do Canada, eh uma mistura de Europa e EUA… Mas no geral as mulheres são magérrimas, elas malham bastante e quase não comem! Acho que aí na Califórnia a mulherada deve ser bem mais saudáveis e magras que as de Pittsburgh, PA, morei lá e fiquei chocada como as pessoas eram gordas. Acho que praia, calor e o astral ajudam a cuidar do corpo tambem, ne? Beijos e volte sempre! p.s. quando acabar o livro te conto se achei exagerado tb… :P

    4. Josi
      10 de fevereiro de 2011 at 15:05

      Nas aulas de francês, ouvi falar sobre o paradoxo francês. Que é um estudo que fizeram pois chamou a atenção de um cientista como os franceses da Normandia, apesar de consumirem muitas gorduras saturadas, sofriam pouco de aterosclerose coronária. Parece que atribuíram isso ao consumo de muito vinho na região.

      Fato é qie eles fazem mais exercício e tem hábitos alimentares bem saudáveis. Refeições longas, com entrada, principal e sobremesa. Os doces também não são tão doces e o pão, por exemplo, segue várias normas em relação aos ingredientes.

      Enfim! A gente já conhece a receita! hehe

      • ledavolli
        10 de fevereiro de 2011 at 17:29

        Eh verdade! Mas independente, lembro de ti direto lendo o livro porque ela usa milhoes de expressoes em frances no livro! Nao sei se na versão portugues, mas na ingles eh direto… tenho que dar uma consultadinha direto no google para entender! heheeh

    5. 20 de fevereiro de 2011 at 06:05

      POis é, complicado. Nesses dias que fiquei em Paris, comi muuuuuuuito. Porque é tudo muito bom, tb, moro no país onde tudo é muito ruim (credo!)
      Mas realmente não vi francesas gordas. Lindas, altas e muito, muito estilosas.

      • ledavolli
        20 de fevereiro de 2011 at 13:29

        Ai, Dani, mas tu tava de ferias! Tem que aproveitar mesmo! Fale mais sobre essas comidas ruins em algum post!! Beijosss

    6. Keila
      8 de abril de 2011 at 15:43

      Oi Leticia
      Este livro acaba de ser lançado no Brasil e ja está fazendo sucesso, inclusive neste mes de abril saiu uma materia com a autora na revists Claudia, ela da varias dicas muito bacana, você acabou de ler? oq acho?
      bjs
      Keila

      • ledavolli
        8 de abril de 2011 at 22:10

        Ainda to lendo!!!! Eu gosto de ler 3, 4 livros ao mesmo tempo e dai demoro pra acabar! rs rs Muitas dicas sao legais e super validas, mas outras coisas sao dificeis de adaptar para a nossa realidade (tipo jantar com 3 ou 4 pratos, ou como conhecemos, jantar a francesa, sabe? Quem tem tempo pra isso?). No geral eh um livro mais sobre estilo de vida do que propriamente dieta, mas eh valido! Vou ver se consigo ler essa entrevista na Claudia, valeu pela dica! Beijosss

    7. Kita
      4 de junho de 2011 at 21:15

      Bom, não li o livro mas posso dar minha impressão sobre a região da Normandia, que foi citada pela Josi lá em cima. Eu não sabia sobre essa baixa incidência de doenças coronarianas na região, mas me surpreendi com o dado porque a impressão que tenho é absolutamente inversa: em Paris, é claro que há (como em toda a França) aquelas boulangeries maravilhosas, os pães e doces incríveis e tudo o mais, mas me parece que os habitantes já possuem uma alimentação muito mais “globalizada” que não difere muito das porcarias em geral que comemos no Brasil ou nos EUA em função de uma vida mais corrida, de ter que comer fora, com pressa, etc. Já na Normandia, me chama a atenção a tranquilidade, a vida mais interiorana, com hábitos de fazenda, e talvez o nível menor de stress e a maior qualidade de vida é que contribuam com a baixa incidência da doença e não a alimentação saudável… porque come-se DEMAIS na Normandia, é de abismar! As refeições começam com grandes saladas, mas que vai tudo dentro (até “viande”, ou linguiça frita, misturadas às verduras), daí vêm os pratos principais e sempre depois de comer, além da sobremesa, há um enorme prato de queijos, muitos queijos, de todos os tipos… e no final iogurte pra arrematar! E no café da manhã eles comem diversos tipos de pão cheios de Nutella… é uma delícia, mas longe de ser uma alimentação saudável!

      • ledavolli
        5 de junho de 2011 at 20:18

        Pois é, ouvi falar muito que o livro não é realista e de acordo com a França de hoje… Aqui, as canadenses mesmo, são magerrímas, mas quase não comem e fazem muito exercícios, são super ativas e vivem de salada e porções micros! Com certeza o stress é um fator que desencadeia a compulsão alimentar e aumenta as doenças relacionadas ao estilo de vida louco do mundo! Sobre a Normandia, muito legal saber mais detalhes! =) Beijosss

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *