• Sofá número 2 – o querido!

    13 de dezembro de 2010 • Acessórios, Decor

    Na minha sala mini, cabe o sofá seccional que compramos de uma empresa duvidosa total, em um bairro duvidoso total, de uma região do mundo duvidosa total. A novela completa durou 6 meses (alguns diriam que nunca acabou, mas enfim…).

    Depois desse primeiro grande trauma na minha vida de dona da própria casa, peguei medo mesmo de comprar qualquer móvel que não fosse da Ikea e afins. E a nossa casa precisava urgente de outro sofá para acomodarmos os amigos confortavelmente. Claro, uma lista de requisitos era necessária: loja séria (vulgo: paga imposto, podemos devolver a mercadoria, …), design legal (que não fosse da Ikea porque a nossa casa já pode ir pro catálogo anual), que pudéssemos trazer para casa sem pagar uma fortuna pelo frete, uma cor que combinasse com o primeiro sofá, tinha que ser dois lugares, tinha que ser sofá cama para receber os hóspedes… enfim… demorou bastante para acharmos algo nesse nivel.

    Então, finalmente, encontramos o sofá perfeito com tudo que a gente queria, mas ele estava em Montreal e não tínhamos como trazê-lo para Toronto. Triste, triste! Procuramos na mesma rede de lojas, a Urban Outfitters, em Toronto, e achamos! Felicidade completa! Postei o sofá aqui com fotos dele nas lojas, vocês lembram?

    Depois de conseguirmos a grana e pensar como iríamos trazer o sofá, fomos na loja comprar! Uhuuuu, Urban Outfitters aqui vou eu!

    Pegamos o sofá encapado na loja e demoramos um tempão para convencer algum taxista de parar seu táxi para carregar nosso querido sofazinho até em casa. Desembolsamos $30 pila para o taxista russo soviético que fez a gentileza ($$$) do carreto.

    (Gus em frente da Urban tentando convencer algum taxista a levar o sofa!)
    

    Muitos felizes chegamos em casa, colocamos o sofá no lugar escolhido, tiramos a capa e …

    … Isso mesmo… o sofá tava furado no braço!

    (Faça o som aquele de quem perde uma pegadinha na tevê)!

    Raiva de mim, da lei de murphy, da loja, do taxista, e até do coitado do sofá! A gente acha que o raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar, mas cai sim senhoras!

    E daí o casal discute o que vai fazer com o sofá: gasta $30 dólares para devolver o sofá e mais $30 para trazer de volta um novo, sendo que somado a isso seriam $90 dólares em frete no total. Não, nem pensar… Deixa furado mesmo (a solução dos homens são sempre as mais imediatistas!) e vamos costurar o buraco (oiii???), vamos revender (sim, porque alguém vai querer um sofá novo furado!!! oiii???), vamos ligar para loja. Tá bom, quem liga? (eu ligo, né? óbvio… sempre sobra pro mais extrovertido do casal…)…

    Então falo com a gerente, explico, sugiro, conto do meu trauma com sofás, informo que eu não tenho carro e que não tenho carteira para alugar um carro e que o sofá não cabe no metrô (sim, cheguei a pensar nessa idiéa em um momento de desespero!). E definitivamente aviso que não pagarei mais $60 de táxi (vulgo carreto) para trocar o sofá!. Ela, muito gentil, me avisa que precisa ligar pra o headquarter na Philadelphia (alô Raquel!) e que assim que souber me liga (isso era quase 9 da noite). Nesse momento, voltei a acreditar em atendimento ao cliente.

    Menos de 24 horas depois, ela me liga, educadíssima, dizendo que eles poderiam pagar o meu táxi até a ida para a loja, o que daria $30 dólares, e lá eles iriam ver o sofá e me ressarcir. Mas fiquei pensando, e a volta? Vai que dá alguma zica? Aiii meus sais!!! Vou ter que pagar mais $30 dólares do meu bolso para levar o sofá para casa?

    Então ligamos para um amigo e ele nos lembrou do Zipcar, um aluguel por hora de carros e sai mais barato que alugar nos lugares comuns. Duas horas de aluguel desse carro daria $30 dólares e ele ainda dirigiria para a gente. Sim, ele eh gente finíssima!

    Fomos finalmente num sábado a tarde, de dezembro, fazer a troca do sofá, loja tal que fica na frente do shopping mais movimentado de Toronto (e sim, aqui também tem Natal, amigo secreto, festa da empresa, lista de presentes para a família toda incluindo o cachorro e claro, o trânsito de uma cidade grande!). O gerente, outro dessa vez, pediu que colocássemos o carro na área de entrada e saída de mercadorias (atrás da loja), que facilitaria para nós. Entrando no beco escuro e estreito, vi pela primeira vez ratos em Toronto. Ratos seria minimizar, eram ratazanas escuras e nojentas correndo das luzes que vinham na direção do nosso carro.

    Depois do meu xilique, mostramos o sofá furado para o gerente, ele mostrou o nosso novo sofá, perfeito e intacto, colocamos no carro, mostrei a nota, ele me reembolsou o valor do aluguel do carro com dinheiro e ainda me pediu desculpas por ficar me devendo $0.50 centavos (o valor da nota deu $30.50).

    O sofá novo agora esta lépido e faceiro, lindooo, confortável e estiloso no minha sala.

    Happy End!!!! E MUITO obrigada ao André pela mão e pela Urban Outfitters pelo excelente “customer experience”.

    Lembre-se disso: comprar em uma loja séria pode ser um pouco mais caro que outras, mas nessas horas você até esquece que pagou um pouco a mais…

    … bom, em relação ao meu primeiro sofá, não queiram saber toda a novela… rs rs

    Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Pin on Pinterest0Share on Tumblr

    13 Comentários para Sofá número 2 – o querido!

    1. Josi
      14 de dezembro de 2010 at 06:10

      Nossa amiga!!! Te entendo total, a diferença é que aqui tive que me estressar pra convencer a empresa do frete que eles tinham que fazer meu sofá subir pelo elevador e não ser içado até o 14º andar! Lessons learned total! E fora uma cadeira quebrada, um bar mal pintado! Afe!!!
      Mas tenho que reconhecer que fazer isso aqui em SP, com as lojas que conhecemos, com as pessoas falando o mesmo idioma, tudo deve ser beeem mais simples!
      BTW, o sofá ficou uma graça!!!

      • ledavolli
        14 de dezembro de 2010 at 10:11

        Putzzz!!!! Que novela amiga!!! Afe!

    2. angelina
      14 de dezembro de 2010 at 07:36

      ai amiga! essas coisas sempre acontecem com a gente né?! é um saco! mas pelo menos teve um final feliz!! Por isso não adianta, o barato sempre acaba saindo mais (no meu caso SEMPRE) hehehe

      • ledavolli
        14 de dezembro de 2010 at 10:10

        Siiiiim!!! E agora tem cama para ti!!! :)

    3. Lisandra
      14 de dezembro de 2010 at 11:38

      hahhahahahahhahahaha Adorei teu post!! Imagino você falando!! Gritando!! Tendo xilique!! Muito bom!!

      E a parte “Tá bom, quem liga? (eu ligo, né? óbvio… sempre sobra pro mais extrovertido do casal…)…” Nem o Mastercard paga!!!!

      Mas é claro que um “The End” era obrigação pra esse casal maravilhoso!!
      Beijooosss

      • ledavolli
        14 de dezembro de 2010 at 16:48

        Amei o comentario amiga! Tive xilique mesmo! Tu conhece a figura aqui!!! rs rs :)
        p.s. e o \”muito bom\” eh frase tipica tua, neh?!
        Beijooooo grande!

    4. Josi
      14 de dezembro de 2010 at 13:45

      E o combinado não sai caro :o)
      Aprendi essa agora

      • ledavolli
        14 de dezembro de 2010 at 16:43

        hehehe… serio que eles falam isso ai? hehehe!

    5. andrea
      14 de dezembro de 2010 at 14:58

      Lindona, o importante eh que ele eh lindo, e super combinou com a sua casinha fofa! Amei o novo layout :)

      • ledavolli
        14 de dezembro de 2010 at 16:43

        :D

    6. maria cristina simon
      22 de dezembro de 2010 at 20:19

      Adorei tua história , simples , divertida , com final feliz , enfim ÓTIMA.Bjsss

      • ledavolli
        22 de dezembro de 2010 at 23:42

        hehehe! Pelo menos o final foi feliz! Quase morri de infarto antes! eheeh

    7. Pingback: Porque eu odeio a Zara | Para minha mãe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *